Saneamento básico: fator de proteção ou fator de risco para esquistossomose mansoni no Brasil?

Translated title of the contribution: Environmental sanitation: protector or risk factor for schistosomiasis mansoni in Brazil?

Kasandra Isabella Helouise Mingoti Poague*, Léo Heller

*Corresponding author for this work

Research output: Contribution to conferencePosterAcademic

Abstract

Entre os países da América Latina o Brasil é aquele que apresenta maior número de pessoas que requerem intervenções contra Doenças Tropicais Negligenciadas (DTN) segundo Organização Mundial da Saúde (OMS). Pesquisas apontam que em 2016 as DTN foram responsáveis por 475.410 anos de vida sadio perdidos (DALYS), sendo a esquistossomose mansoni o segundo maior contribuinte. Visto que os dados fornecidos pela OMS são resultados de inquéritos realizados com coberturas parciais, e a fim de compreender a real situação do país como um todo, a Fundação Oswaldo Cruz executou o primeiro levantamento de prevalência de esquistossomose mansoni com abrangência em todos os estados da federação com escolares de 7 a 17 anos de idade. Os resultados desta pesquisa mostraram que, embora houve uma significativa redução na prevalência da enfermidade no país, ainda há locais com altas taxas de positividade, especialmente nas macrorregiões Nordeste e Sudeste. Ante a problemática exposta, o presente estudo possui como objetivo avaliar de que forma as condições sanitárias se relacionam com a prevalência de esquistossomose mansoni em escolares de 7 a 17 anos em todos os estados da federação brasileira. Para tanto, lançou-se uso de modelos estatísticos de regressão. A unidade de análise foram os 521 municípios que participaram do Inquérito Nacional de Prevalência de Esquistossomose mansoni e Geo-helmintoses. O banco de dados englobou 15 variáveis explicativas de naturezas sanitária, educativa, socioeconômica e de saúde, coletadas de diferentes fontes públicas. O Modelo Linear Generalizado foi adotado considerando a distribuição Binomial Negativa para o número de casos. Inicialmente, ajustou-se modelos de regressão univariados a um nível de significância de 25%. O modelo de regressão multivariado final foi construídos via metodologia Stepwise de inclusão de variáveis considerando um nível de significância de 5%. Das sete variáveis explicativas de caráter sanitário duas permaneceram no modelo multivariado final, sendo referentes a infraestrutura sanitária escolar. A variável que se refere ao esgotamento sanitário na escolas apresentou IRR superior a 1, indicando que a coleta de esgotos por redes públicas e disposição em fossas não é um fator protetor, mas sim um aspecto que acentua a transmissão da doença. Por fim, o arranjo de variáveis do modelo final reflete a necessidade das medidas estruturais serem acompanhadas de ações estruturantes.
Translated title of the contributionEnvironmental sanitation: protector or risk factor for schistosomiasis mansoni in Brazil?
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2019
Externally publishedYes
EventX Encontro de Pesquisa em Parasitologia: Professor Marcos Pezzi Guimarães. Resiliência e Pesquisa: um olhar para as origens, caminhos para o futuro - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brazil
Duration: 28 Nov 201929 Oct 2021
Conference number: X
http://www.parasitologia.icb.ufmg.br/ep2019/

Conference

ConferenceX Encontro de Pesquisa em Parasitologia
CountryBrazil
CityBelo Horizonte
Period28/11/1929/10/21
Internet address

Cite this